Nos siga nas redes sociais

Conhecimento Geral

Top 10 países com maior população negra fora da África

Em torno de 25 milhões de pessoas que têm origem africana vivem fora do continente negro, porém há também afrodescentes que nasceram em toda parte do mundo. Prova disto, você confere nesta seleção dos 10 países com maior população negra fora da África.
No futuro próximo, a população africana aumentará, atingindo em torno de 40% da população mundial até o final deste século. A seleção é criada usando como fonte dados de Institute for Cultural Diplomacy sobre diáspora África no mundo.

10°

Cuba – População Negra 1.126.894

cuba entre os países com maior população negra fora da África
Em 2012, o Censo mostrou que as pessoas negras constituíam 9.26% da população total. Os africanos chegaram à Cuba durante o século 16 e 17, quando o país era uma colônia espanhola.
Atualmente, os negros vivendo em Cuba enfrentam diferentes formas de discriminação, desde sub-representação na política, academia, setor privado à elevada taxa de desemprego e pobreza, e Cuba é décima posição nesta seleção, dos 10 países com maior população negra fora da África.

Reino Unido – População Negra 2.015.400

reino unido  entre os países com maior população negra fora da África
As comunidades negras e de minorias étnicas têm aumentado desde a década passada no Reino Unido e continuará a subir, por isso em 2050, um terço da população do Reino Unido pertencerá a estes grupos.

Venezuela – População Negra 2.641.481 – 6.999.926

venezuela  entre os países com maior população negra fora da África
Embora haja uma impressão geral que não há racismo na Venezuela, a discriminação predominante das pessoas com base em sua cor de pele prova o oposto. Como em outros países da seleção, os afro-descendentes são sub-representados em estruturas de poder. Nos últimos anos, Hugo Chávez, o ex-presidente que morreu em 2013, tentou mitigar os efeitos da discriminação.

Jamaica – População Negra 2.731.419

jamaica  entre os países com maior população negra fora da África
Com quase 3 milhões de residentes com origem africana, a Jamaica é um dos 3 países na seleção em que a população negra representa a maioria. Os africanos chegaram à ilha durante o governo espanhol e inglês como escravos, e a Jamaica é sétima posição nesta seleção, dos 10 países com maior população negra fora da África.

França – População Negra, em torno de 5.000.000

frança  entre os países com maior população negra fora da África
A França proíbe pesquisas de dados sobre raça dos residentes, etnia e religião, que é a razão de não haver registros oficiais sobre o número exato de pessoas negras vivendo no país.
Os negros vivendo na França têm origem africana ou do Caribe. A comunidade negra no país tem enfrentado décadas de discriminação e marginalização, e nos últimos anos, manifestou sua revolta através de uma série de incidentes violentos nas ruas de Paris.

República Dominicana – População Negra 7.985.991

dominicana  entre os países com maior população negra fora da África
Os termos, negro, comunidade negra, e cultura negra são raramente usados, já que a maioria dos moradores insiste em suas raízes européias e indianas. As razões que explicam dominicanos negligenciar sua herança africana podem ser rastreadas até os tempos da colonização quando os europeus brancos eram superiores e como tal objeto desejável de identificação.

Haiti – População Negra 8.701.439

haiti  entre os países com maior população negra fora da África
A população negra, que é estimada em torno de 9 milhões, respondem por 95% da população total. O país é o primeiro no hemisfério ocidental que aboliu a escravidão e que elegeu líder negro.
Jean-Jacques Dessalines, que liderou a revolução dos escravos contra colonizadores, derrotou as tropas francesas, que permitiu o Haiti a declarar independência em primeiro de janeiro do ano 1804, que é atualmente celebrado como Dia da Independência. Atualmente, o Haiti é um dos países mais pobres do mundo.

Colômbia – População Negra 9.452.872

colombia  entre os países com maior população negra fora da África
No país, cuja história recente tem sido marcada pelos conflitos armados, comunidades indígenas e afro, sofreram mais. Mais de um terço das pessoas deslocadas na Colômbia fugiram da Costa do Pacífico, que é principalmente habitado por estes 2 grupos.
Embora constituam grande porcentagem da população, os colombianos com raízes africanas têm lutado contra diferentes formas de discriminação, a pobreza aguda e violência, sendo a Colômbia terceira posição nesta seleção, dos 10 países com maior população negra fora da África.

Estados Unidos – População Negra 38.499.304

estados unidos  entre os países com maior população negra fora da África
Atualmente, em torno de 38 e meio milhões de pessoas negras vivem nos Estados Unidos, que representam 12.61% da população total. Estima-se que até 2060, a população negra nos Estados Unidos atingirá 74.5 milhões.
Em comparação com os brancos, a comunidade negra ganha muito menos, enfrenta taxas de desemprego maiores e riscos de pobreza, tem menores realizações educacionais e cuidados médicos mais pobres.
Além disso, a violência policial contra os negros tem impulsionado uma série de protestos em toda a América. No ano de 2015, 6.46 negros por milhão foram mortos pela polícia, comparado com 2.71 brancos, e 3.06 latinos.

Brasil – População Negra 85.783.143

brasil  entre os países com maior população negra fora da África
Com quase 86 milhões de residentes com origens africanas, o Brasil classifica como líder nesta seleção, dos 10 países com maior população negra fora da África.
Como nos Estados Unidos, a comunidade negra no Brasil é muitas vezes sujeita à violência policial. Além disso, os dados mostram que a maioria das vítimas de homicídio é afro-brasileira, enquanto os adolescentes afro são 3 vezes mais propensos a serem mortos em comparação com seus pares brancos.

38 Comentários

38 Comentários

  1. V. Santos

    29 de outubro de 2018 ás 21:21

    O Brasil tem a maior população Africana fora de África porque os Portugueses para livrarem os pretos da desumana escravatura africana e muçulmana, os transportaram para o Brasil. Infelizmente outros portugueses escravizaram e continuaram a escravizar seguindo tendências com mais de oito mil anos, mas nada tira aos verdadeiros Portugueses o orgulho de serem os primeiros a abolir a escravatura. Em 1756 o Rei de Portugal emite um comunicado onde se podia ler: É expressamente proibido a compra e venda de pessoas. Pessoas não são mercadoria e têm o direito à propriedade. Este foi o principio do fim da escravatura na história da humanidade.
    Em Portugal há um ditado que diz: Se Deus criou o Homem, então, o Português criou a Mulata. Estudos de ADN
    (Ácido DesoxirriboNucleico) e não (DNA) da desconstruída língua inglesa), mostram que em toda a história os povos não reproduziram com africanos subsarianos, pois os consideravam macacos, a primeira vez que isso aconteceu foi quando os Portugueses chegaram à Guiné.
    Fica provado também por estudos feitos no laboratório de genética mais avançado do mundo que fica em Lisboa, que o ADN Português possui sequências africanas subsarianas e tem características únicas no mundo, o gene A26 B38 DR13 é o mais antigo da humanidade e só os Portugueses o possuem e também Brasileiros com origens Lusitanas, ver o documentário: Portugal Desconhecido do Canal História.
    Hoje a doença racismo é espalhada pelo mundo muito por conta desse tal sem nome cuja capital é Washington e outro indefinido cuja capital é Londres que julga ainda viver no império britânico, escravizando populações pelo mundo onde mete a unha, é gente que ainda não percebeu que a doença racismo é psicótica e desumana.
    No coração do verdadeiro Lusitano não existe racismo, o mesmo se passa com o povo Brasileiro, os dois únicos povos do mundo onde ser racista é incompatível com a sua nacionalidade.

  2. Lutrem

    14 de setembro de 2018 ás 4:29

    Reportagem é política, não é verdade.
    No caso do Brasil.
    A verdade, é que o que importa no julgamento biológico, é a informação genética o DNA; e este fato o governo Brasileiro ou instituto de pesquisa, não tem essa informação. Porque teria que analisar o DNA de cada indivíduo.
    Se uma pessoa é branca, por pai negro e mãe branca; tal pessoa não pode ser considerada pessoa branca e nem negro, mas sim mestiço. Nos milhões de esperma do mestiço, pode-se gerar filhos negros ou brancos, é só, selecionar o esperma.

  3. Adenicia

    24 de agosto de 2018 ás 4:57

    nunca vai entender porque não deve ter aprendido sobre recessividade e dominância na aula de biologia! :)

  4. Alexandre Garcia

    11 de julho de 2018 ás 21:41

    Não imaginei que fossem tantos negros assim.
    Estou boquiaberto.

  5. Fabio Silva de Lima

    20 de maio de 2018 ás 1:19

    O Brasil é um país altamente miscigenado não existe pessoas 100& brancas e 100% negras

    • Linvaldo Gaspar

      14 de setembro de 2018 ás 2:13

      Interessante mais tá entre os países mais preconceituosos do mundo quanto a negros

  6. Fabio Silva de Lima

    20 de maio de 2018 ás 1:04

    No Brasil infelizmente existem muitos negros racistas que não gostam de assumir suas verdadeiras origens

  7. Fabio Silva de Lima

    20 de maio de 2018 ás 1:02

    O Brasil é um país altamente miscigenado,tem inumeras pessoas brancas e negras que não são 100% brancas e negras,brancos e negros puros nesse país quase que não existe,tem pessoas muitos brancas com características extremamente européias que as vezes não são totalmente da origem européia pode ter indios e negros em algum grau distante da família como os avós,bisavós e tataravos,existe sim uma forte predominância européia na familía que as vezes faz com que a pessoa venha herdar os fenótipos da própria raça.Assim como tem muitas pessoas negras que não são 100% negras porque tem pessoas de outras origens na linhagem de seus avós e bisavos.Por isso que eu falo tem muitas pessoas de pele branca no Brasil com sangue africano e indígena,assim como tem muitos negros com sangue indígena e europeu

  8. Ana

    13 de janeiro de 2018 ás 3:59

    Nunca vou entender porque branco com negro dá sempre negro. O negro é tão poderoso que suplanta e anula o branco, é isso? Café com leite vira café?

    • Alexandre Garcia

      21 de julho de 2018 ás 19:02

      O gene negro é mais forte que o branco.
      Agora se for negro com oriental, o oriental ganha.
      Oriental com branco,o oriental também ganha.

  9. Alvarenga

    16 de novembro de 2017 ás 14:30

    Vocês não computaram a Índia.que e a maior nação com negros fora da Africa.

  10. Cleber

    25 de outubro de 2017 ás 13:27

    O Brasil tá nessa merda porque os políticos 99%são brancos.

  11. JAILTON SILVA

    19 de outubro de 2017 ás 20:05

    ONDE FICAM OS MILHOES DE CABOCLOS OU MAMELUCOS ESPALHADOS NO NORTE DO BRASIL FORAM EXCLUIDOS

    • Max Evangelista

      29 de novembro de 2017 ás 19:55

      Esse pessoal querem ignorar a população parda brasileira!
      É como se não tivéssemos uma identidade própria!

  12. Mônica COSTA

    15 de outubro de 2017 ás 13:03

    O NEGRO NÃO GOSTA DE SER NEGRO!!! Conversando c/ algumas pessoas da minha familia eu fiquei pasma e aborrecida!!! Não gostam, não acreditam que podem vencer, que podem derrubar qualquer obstáculos. Há uma baixo auto estima, arraigado muito forte. Ainda estamos tendo filhos c/ “brancos” p/ clarear a familia. Eu sofro preconceito dentro da minha própria .ENQUANTO NÃO MUDAR AS MENTES, NADA MUDARÁ..UM PAIS SE FAZ COM HOMENS E LIVROS .

  13. C. Duarte

    5 de setembro de 2017 ás 21:14

    Bem falado Cleber… a competencia nao vem da cor mas da razao (mente)

  14. eu

    22 de julho de 2017 ás 20:38

    85 milhões de negros no Brasil??? Só rindo mesmo.

  15. miguel

    8 de julho de 2017 ás 7:04

    Gostaria de saber: se a toda a população mestiça do Brasil foi contada como se fossem negros, por que a mesma coisa não foi feita com Cuba?
    A população negra e mestiça juntas em Cuba formam 3.9 milhões de pessoas e aí só contou 1.1 milhão. Por que?

  16. miguel

    8 de julho de 2017 ás 5:52

    Pardos e negros não são a mesma coisa e nunca foram, por isso são duas categorias separadas desde os tempos do império.
    A categoria ‘pardos’ no Brasil serve para simbolizar pessoas de raças misturadas, entre brancos, negros e índios.

    • Vinicius Frömming

      20 de julho de 2017 ás 21:53

      primeiro padro e negro é a mesma coisa a diferença é entre pardo e preto ok
      segundo o império era extremamente racista e queria de toda maneira embranquecer a população para fazer do brasil um país mais ´´aceitável´´ para as potencias europeias e as teorias raciais da época
      por exemplo nos estados unidos existem pessoas ´´pardas´´ que são misturadas como vc disse como por exemplo o barack obama a beyoncé e até um jogador de basquete que eu me esqueci o nome porém eles todos se consideram negros e são considerados negros pela a população americana ou seja no brasil fica essas teorias idiotas que não fazem o minimo sentido por que tem muita gente aqui que tem claras caracteristicas africanas mais so pq tem a pele mais clara que um preto não acha que é negro

      • José Marcos msuricio

        23 de julho de 2017 ás 20:13

        Muito bem lembrado e defendido esse item.concordoem todos pontos .

      • Fatura

        2 de agosto de 2017 ás 9:22

        O ex presidente dos Estadunidesnes é considerado negro pela população americana? A população americana é grande demais. O continente americano conta com mais de 30 países. Será que toda a população desses países (população americana) realmente pensa como você falou? Bom, de fato o Obama é negro. Ele tem cabelo duro e a cor da pele não deixam dúvida. Resumindo: o ex presidente estadunidense (ianque, de assim preferir) é negro. No meu ver, pardos são aqueles da mesma cor que índios, que nesse caso, não são negros.

      • Thiago Salustiano

        11 de agosto de 2017 ás 0:19

        PARDO NÃO SÃO NEGROS! Primeiro pois se for pra contar uma parte étnica, conte também a branca. Seguindo sua lógica um pardo pode se considerar branco pois tem parte européia, ou isso só vale pra parte negra? Segundo, aonde foi que você viu essa calúnia? Politica de branqueamento começou no inicio da República, não no Império. A população em geral era racista, até os negros eram em boa parte, a escravidão até a decada de 1870 não era vista como um problema, mas a familia real principalmente Dom Pedro II era contra e lutou por toda vida contra a escravidão. Pesquise e vai ver. E pelo amor de Deus, não compare a miscigenação nos EUA com aqui. Aqui praticamente tudo se misturou com tudo, lá foi bem mais escasso, por isso fica mais fácil denominar quem pertence a uma etnia, por isso o Obama e Beyoncé podem ser chamados de negros lá, por que realmente são. Aqui no Brasil dá pra chamar a maioria dos pardos por uma etnia só de vista? Creio que não, por isso existe genética.

      • Leodvam

        19 de agosto de 2017 ás 18:50

        Thiago Salustiano, vc está redondamente enganado. Eu, no último censo, me classifiquei como pardo, e minha cor/raça é muito mais próxima do branco do que do negro. Minha mãe é branca, meu paí é caboclo. Pardos não são negros, pardos é a população que não se sente branca nem negra.

  17. José Alves da Silva

    24 de junho de 2017 ás 19:31

    Boa tarde. O mundo existe para todos, em tese, mas na prática é diferente. Sou negro e resido na cidade mais negra das américas: Salvador/BA. Chegamos neste continente como mercadorias, não como imigrantes no molde do padrão europeu e americano. Fomos expostos à baixa estima e à humilhação com correntes nos pés e nas mãos e comendo água com farinha como alimento de sustentação. Sim, o negro brasileiro pode ser presidente da república, ministro do STF (Joaquim Barbosa), governador, prefeito, deputado, vereador, empresário, médico, oficial das forças armadas, economista, contador ou qualquer ocupação muito prestigiada em nossa sociedade. Apenas precisa querer que isso lhe aconteça, superar os impedimentos dos adversários raciais, se apoderar da boa capacidade e do conhecimento para obter uma ou todas essas conquistas. Os latinos (países procedentes de Portugal e Espanha) não gostam de ver negros bem sucedidos e nos EUA, país de origem saxônica e de forte cunho racial, os negros tiveram mais conquistas do que os daqui e isso se deveu a um fator importante e muito ausente em nós, afro-brasileiros: a união. Penso ser necessário superar essa realidade e seguir os passos supracitados para demonstrar que o negro não está neste faixa de terra que abriga as américas para ser escravo como quiseram os mercadores do passado e os que utilizam o racismo para impedir o aproveitamento igualitário dos privilégios, mas que ele creia que todo o ser humano pode demonstrar o seu potencial e reivindicar esse direito. Felicidades a todos.

    • eu

      22 de julho de 2017 ás 20:41

      José, pelo visto vc não sofreu nem um décimo do que sofreram seus antepassados africanos. Caso contrário não estaria se expressando de maneira tão articulada e nem demonstrando tanta cultura. Agora, pare de chorar e ponha-se a trabalhar como fazem todos os demais brasileiros, seja de que etnia forem.

  18. Fernando Gedeon de Sousa

    17 de junho de 2017 ás 3:36

    cara, deixa de ser idiota,o pardo pertence a raça negra, se for assim não vai existir negro no Brasil! olhos cor de mel que você diz ter, é a cabeça da minha rola viado, pare de frescura e se assuma como negro.

    • Lustrem

      14 de setembro de 2018 ás 5:09

      Fernando Gedeon de Sousa;
      Tu, és ignorante, que duvido, que leste e interpretaste, livro de Biologia na sua vida. Não ficarei surpreso, se você me disser que você é cidadão, ou tem origem no Nordeste Brasileiro.
      Pardo, não é negro. E pardo, não é Branco. Mestiço, são pessoas misturadas que carregam no esperma ou nos óvulos, código genético, que podem gerar filhos brancos ou negros, ou asiático; quanto ao fenótipo.
      O índio, das Américas é negro?

  19. Fernando gedeon de sousa

    17 de junho de 2017 ás 3:14

    cara, deixe de ser idiota, o pardo no Brasil , pertence a raça negra, se for do jeito que você está falando, não vai existir negro no Brasil, olho cor de mel é a cabeça da minha rola filha da puta, você é negro sarará.

  20. Fernando gedeon de sousa

    17 de junho de 2017 ás 3:01

    Além de você ser racista é burro, o parto pertence a raça negra, não tem como ser de outra raça imbecil, você é tão racista, que não admite ter negro no Brasil, seu jumento.

    • Look

      17 de novembro de 2017 ás 21:46

      Vc é burro isso sim, se pardos pertence a negros, então quer dizer que os pardos pertecem aos branco tbem, PARDO NÃO É NEGRO, e racista é você que quer dizer que a cor parda não existe, seu racista do crlh…

  21. marvel

    9 de maio de 2017 ás 23:46

    existe o branco e existe o preto, a junçao dessas duas raças dá o negro. veja o caso do obama, pai preto africano, mae branca inglesa, ele nao é branco nem é preto, ele é negro

  22. IgorThales

    16 de dezembro de 2016 ás 18:43

    Meu Sonho é Conhece o Continente Africano Ver os Temidos Leões Atras de Suas Presas

  23. JANE TADEU DA SILVA

    23 de novembro de 2016 ás 0:15

    Ai moçada Afro temos poder de eleger um NEGRO da nossa ETNIA Presidente do País, já que os brancos como aqui em SP no governo do Estado são livram as caras dos brancos racistas, e vide que os nó cegos são todos de pele branca, deixamos de ser ofendidos por eles e vamos pra luta como EUA temos o poder nas urnas se eles deixarem, que mesmo vencendo nela os coxinhas deram o golpe e tomaram o poder no tapetão.

    • Cristian

      19 de dezembro de 2016 ás 18:32

      O problema é que os negros vai na ladainha dos políticos brancos, dificilmente teremos um presidente negro.

      • IDEILSON BORGES

        28 de janeiro de 2017 ás 23:22

        O Brasil devia ser governado por nós,
        Só assim vai haver igualdade já que não se vê falar de racismo de negros contra brancos.
        Já de brancos contra negros todo dia tem algum incidente.

        • Marcelo

          31 de janeiro de 2017 ás 2:50

          Você fala como se o único problema dó Brasil é o racismo

        • Cleber

          10 de fevereiro de 2017 ás 21:35

          O Brasil precisar ser governado por pessoas competentes e honestas, não é a cor da pele que distingue se uma pessoa é melhor que a outra, mas sim suas atitude como ser humano. Independente de cor e raça no final somos todos iguais, somos humanos.

Deixe seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Vistos